Global Trade Management: Gerenciando a Complexidade em Compliance

De acordo com o relatório divulgado pela Thomson Reuters, Emerging Trends in Global Trade, a automação e a integração de sistemas de informação estão no topo das melhorias necessárias nos atuais sistemas e processos de gerenciamento da crescente complexidade que é hoje a cadeia global de suprimentos.

Essa complexidade se apresenta mais evidente em processos de Compliance, necessário ao atendimento de inúmeras especificidades fiscais para a comercialização de produtos e serviços entre os diferentes países.

As operações de instituições globalizadas, polarizadas geograficamente, encontram-se sob a jurisdição de múltiplos sistemas nacionais; cada um com suas particularidades normativas e regionalizadas. Na atual conjuntura do comércio internacional, o desafio de uma equipe de Compliance é interpretar e comunicar as exigências regulatórias que viabilizam a mobilização de recursos através das estruturas internacionais.

Porém, a limitação que se percebe atualmente é a falta de prioridade na disponibilização de ferramentas tecnológicas voltadas para o gerenciamento dos volumes e complexidades das informações e das tarefas envolvidas neste processo de ponta a ponta. Enquanto isso, a força-tarefa se mantém investida na forma de atividades rotineiras manuais, minimizando os benefícios que podem ser obtidos através da automação e transferência da sua aplicação em tarefas de maior relevância, que auxiliem no alcance da otimização. São exemplos: a busca de vantagens competitivas existentes nos acordos internacionais, em regimes de preferências tarifárias, em regimes drawback e logística reversa, para citar alguns.

Um fundamento importante na transição para um modelo automatizado é garantir um processo de comunicação bottom-up que mantenha os executivos da organização informados sobre os benefícios alcançados, em especial em relação à otimização no uso dos recursos financeiros. A implementação desse mecanismo auxiliará na melhoria da percepção e da compreensão sobre o valor tangível que a automação de processos e a integração de sistemas traz à operação.

Autoria: Juliana Michelon Alvarenga, BSc. Relações Internacionais; MBA Business Intelligence. [julianama@aldeotaglobal.com].
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s